Pagina Principal Pagina Principal Pagina Principal Meu Cadastro Compras realizadas Fale Conosco Adicione a gente no Facebook
Tipos de cachaça
Cachaça de Alambique e Industrial    
Dicionário da Cachaça    
Diferença entre Cachaça Industrial e Artesanal    
Produção de Cachaça: Madeiras x Envelhecimento    
Tipos de cachaça
Diferença entre Cachaça Industrial e Artesanal


Milhões de brasileiros e consumidores não tem a menor idéia dessa diferença, muito menos no exterior. Resumidamente:


Artesanal

A cana em geral é plantada ao lado do alambique, para garantir seu fornecimento e não necessitar de transporte, pois o pequeno produtor não costuma ter capacidade de estocar e fazer uma grande moagem.

A cana é colhida e desempalhada manualmente, sem queima, depois é transportada para a moenda.

Ela é moída sem embebição, que é a técnica de colocar água no bagaço para retirar todo o açúcar. A garapa fresca é fermentada com pé de cuba, preparada pelo próprio engenho no início da safra.

A fermentação dura de 24 a 30 horas. A cachaça é destilada em alambiques de cobre, utilizando o calor da queima do bagaço pelo sistema de batelada (não contínua) pelo qual se separa e elimina a cabeça que representa de 5 a 10% do total a ser destilado.

Aproveita-se o coração que corresponde aproximadamente 80% do total, despreza-se o resto que é a água-fraca, ou cauda na qual o álcool etílico já está com baixa graduação e nesta condição arrasta os componentes com pontos de ebulição altos.

Coloca-se o coração para o envelhecimento, embora alguns afoitos acreditem que a cachaça, sem nenhuma adição de açúcar ou corantes, esteja boa para o consumo mesmo sem o envelhecimento. O rendimento desse processo é baixo, cerca de 130 litros por tonelada de cana.


Industrial

Queima-se a cana no canavial para desempalhar e facilitar a colheita manual ou mecânica; em seguida, a cana é depositada no solo dos talhões para ser recolhida pelos termiões (carretas especializadas para esse transporte) e removida até as usinas.
Depois ocorre a lavagem e moagem da cana com embebição, porá a retirada de toda a sacarose.

A seguir, o caldo do cana é fermentado com leveduras selecionados para o alto rendimento alcoólico.

Por ter sido queimada e lavada, essa cana carrega pouca levedura selvagem nas cascas, não concorrendo, então, com o fermento selecionado.

A destilação é feita continuamente em colunas de aço inoxidável, e o destilado final sai com graduação alcoólica em torno de 47 graus.

O rendimento do destilado é mais alto que no processo artesanal, atingindo cerca de 190 litros por tonelada de cana.

As empresas fabricantes da aguardente industrial recolhem o destilado de vários produtores e padroniza os vários componentes da bebida em suas fábricas, inclusive adoçando-a, o que é permitido pela legislação, para torná-la mais suave.
 


Fonte : Cachaça: a Bebida Brasileira - ERWIN WEIMANN   
Editora: Terceiro Nome

Um livro sobre um dos maiores símbolos do nosso país, que aborda a trajetória da bebida desde o seu início nos canaviais e engenhos até a fabricação, os tipos de cachaças e alambiques, as regiões produtoras, a presença tanto nas mesas humildes quantos nas sofisticadas e sua utilização na gastronomia e no preparo de aperitivos.

Enfim, um livro para ser degustado, sem moderação, por todos.


Compartilhar nas Redes Sociais
| |


Desenvolvimento: qualitÉ! Tecnologia Mercado Bar ® 2009. Todos os direitos reservados.   Administração  Webmail
PÁGINA PRINCIPAL | EMPRESA | ESPECIAIS | POLÍTICA DE PRIVACIDADE | CONTATO
Montes Claros (MG) CEP: 39.400-000
vendas@mercadobar.com.br (38) 9105-3710